Hiperlexia em um caso de autismo

hiperlexia
O caso em questão trata de uma criança com diagnóstico de autismo e hiperlexia associada. Kanner (1943) percebeu a presença desse fenômeno quando primeiramente descreveu e definiu o autismo, e Silberberg e Silberberg (1967) definiram o termo "hiperlexia" para descrever crianças que liam em níveis além daqueles esperados para sua idade na presença de comunicação oral desordenada. Após décadas de pesquisa, três características da hiperlexia emergiram: presença de desordem do desenvolvimento da com...
Continuar

Bebês de 4 meses já captam sinais

bebe_autismo
Um estudo realizado por pesquisadores britânicos sugere que bebês de quatro meses já são capazes de reconhecer expressões de emoção em adultos. A equipe, do Centro Cerebral e Desenvolvimento Cognitivo da Universidade de Birkbeck, em Londres, descobriu que bebês conseguem captar os sinais não-verbais utilizados pelo ser humano para se comunicar, como sorriso e sobrancelhas levantadas. Os especialistas utilizaram métodos de imagens para verificar se as regiões cerebrais implicadas nas percep...
Continuar

Funções cognitivas e comportamentais

funções cognitivas e comportamentais
Classicamente considerado responsável pela coordenação motora, o cerebelo tem sido ultimamente implicado também em funções cognitivas. Estudos anatómicos sugerem que o cerebelo possa estar ligado a áreas associativas dos hemisférios cerebrais (regiões pré-frontal, occipito-parietal, temporal e límbica), através de um circuito em ansa fechada. Trabalhos com métodos funcionais mostraram activação do cerebelo (vérmis e região posterior dos hemisférios cerebelosos) na realização de tarefas cogni...
Continuar

X frágil é a malformação genética

x_fragil
Encontrada em um a cada 4 mil meninos nascidos vivos e em uma a cada 6 mil meninas, a síndrome do X Frágil é a deficiência mental mais freqüente entre as malformações genéticas herdadas da mãe, segundo a Fundação Brasileira do X Frágil. A doença, uma das principais causas do autismo, está presente em forma de pré-mutação em uma a cada 259 mulheres. A falta de sintomas apresentados pelo sexo feminino não diminui o poder de transmissão do gene debilitado e apenas o diagnóstico precoce no pré-nat...
Continuar

Como os autistas procedem nas decisões?

attività
Pessoas com distúrbios relacionados ao autismo são menos propensas a tomar decisões irracionais e a serem influenciadas pelos instintos, segundo estudo da University College London, no Reino Unido. O autismo é um distúrbio cerebral de causas desconhecidas que interfere na capacidade do indivíduo em se comunicar e relacionar com outras pessoas. De acordo com os especialistas, a "tomada de decisão" é um processo complexo que envolve tanto a intuição (mais rápida e menos precisa, movida pelos ...
Continuar

Meninos têm mais distúrbios

meninos autismo
Risco de desenvolver problemas de aprendizagem, por exemplo, é quatro vezes maior, apontam estudos Meninos têm até quatro vezes mais risco do que meninas de desenvolver problemas emocionais, de aprendizagem na escola, de comportamento, além de distúrbios mentais. A constatação foi apresentada neste mês em Londres, em evento sobre educação para crianças com necessidades especiais. Segundo revisão da literatura científica, parte da culpa pelos problemas no desenvolvimento dos meninos vem da cul...
Continuar

Diagnóstico Genético e Clínico do Autismo Infantil

Diagnóstico Genético e Clínico do Autismo Infantil
RESUMO - Os principais objetivos deste estudo foram caracterizar variáveis selecionadas para um melhor entendimento e diagnóstico do autismo infantil, tais como: achados clínicos e de imagem, critérios diagnósticos, frequência de distúrbios neuropsiquiátricos nos familiares dos propósitos, recorrência familiar e a ocorrência de consanguinidade entre os pais dos propósitos e entre outros casais da família. A amostra foi constituída de 36 propósitos, de ambos os sexos e na faixa etária de 1 a 2...
Continuar

Doenças neurológicas não são apenas hereditárias

neuro
Certas doenças neurológicas, como o autismo ou os transtornos obsessivos compulsivos, podem ter sua origem em fatores que não são apenas hereditários, de acordo com um estudo publicado na revista especializada americana "Neuron", nesta quarta-feira. O estudo, realizado por pesquisadores da Universidade de Nova York e da Baylor College of Medicine, baseia-se na análise de uma proteína chamada FKBP12, presente nos seres humanos e nos ratos. Os cientistas eliminaram a proteína dos ratos de la...
Continuar

Evidências sobre segurança de vacinas

vacina
CHICAGO - Um novo estudo italiano acrescenta informações ao já grande número de evidências de que um conservante baseado em mercúrio, já usado em muitas vacinas, não prejudica as crianças, oferecendo mais segurança para os pais. No início da década de 1990, milhares de bebês italianos saudáveis, em um estudo sobre vacinas de febre convulsiva, tomaram duas doses diferentes do conservante timerosal nas vacinações de rotina. Dez anos depois, 1.403 dessas crianças fizeram uma série de testes d...
Continuar

Conexão entre autismo e a testosterona

autismo_testosterona
Asher Mullard Reino Unido As crianças expostas a níveis elevados de testosterona durante a gestação apresentam resultados semelhantes aos de pacientes de autismo, em testes psicológicos. A descoberta oferece sustentação a uma teoria contenciosa sobre a origem da doença, afirmam pesquisadores. Mas embora a mídia esteja antecipando a possibilidade de testes pré-natais de autismo, os pesquisadores dessa disciplina recomendam cautela, tanto quanto à importância da descoberta quanto com rela...
Continuar